clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais

clike para ver mais

Protesto pela morte de Rosali percorreu ruas de Santo Antônio do Amparo

Centenas de moradores de Santo Antônio do Amparo (MG) foram às ruas em protesto pela morte violenta de Rosali dos Santos, que foi estuprada e assassinada no último dia 29 de julho.  Quatro homens foram presos e segundo a polícia, suspeitos como autores do crime.

 

Os manifestantes se reuniram em frente ao local em que Rosali das Graças Santos, de 31 anos, foi assassinada. Ela voltava para casa de um show na Exposan, quando foi abordada em uma rua. A jovem foi vítima de estupro coletivo e cruelmente assassinada, com indícios de tortura, segundo a polícia.

 

A mãe de Rosali participou da manifestação e recebeu o carinho e apoio de toda a cidade. “Foi uma brutalidade, a gente não tem expressão, não tem como expressar minha dor, meu sentimento de mãe, foi um pedaço de mim que saiu”, disse a mãe de Rosali, Abgail das Graças Santos.

 

Os moradores fizeram uma oração pedindo paz e o fim da violência. Depois eles seguiram em passeata pelas ruas da cidade. Os manifestantes receberam o apoio também de quem acompanhava o protesto de longe. A caminhada seguiu até a Praça Central, onde as pessoas cantaram em homenagem a Rosali.

 

 

“Pra reivindicar mais segurança, mais policiamento nos bairros. No Centro a gente vê muita polícia, mas nos bairros a gente não encontra policiais. O que a gente pede pros outros bairros também, pela segurança, iluminação, porque tem muita falta de postes, de iluminação em alguns bairros da nossa cidade”, disse a dona de casa Mariana Borges Tomás.

 

“Fora monstros que fizeram isso na vida dela e eu sou uma Rosali e todas as pessoas que estão aqui são Rosalis, por isso que eu convoquei todas as Rosalis de Santo Antônio do Amparo para estar presente aqui hoje. Porque ontem foi ela, amanhã pode ser eu, o meu filho, a minha filha, a minha neta, a gente não sabe”, disse a dona de casa Ana Maura Faria de Paula.

 

O movimento foi organizado pelas redes sociais e denominado #somostodasrosali#.