clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais

clike para ver mais

Prefeito Evandro Carrara foi à Câmara de Vereadores relatar como encontrou a prefeitura

O prefeito de Santo Antônio do Amparo, Evandro Carrara (PMDB), apresentou sua equipe, junto ao vice-prefeito Demir Dias (PSL), para a Câmara Municipal do município, nessa terça-feira (17), em reunião extraordinária. Os vereadores ouviram o primeiro pronunciamento oficial do governante desde a posse, realizada no primeiro dia do ano.

Apesar de não confirmar números exatos, uma vez que a prefeitura passará por uma auditoria, o prefeito relatou inúmeros problemas e desafios, sobretudo na questão financeira e estrutural. E a primeira delas já afeta parte dos servidores públicos: a folha de pagamento de dezembro que ainda não foi paga. Evandro explicou que o problema deve-se ao atraso do Banco do Brasil na liberação da senha para serem feitas as transferências. Ele ainda questionou o fato da folha ter sido dividida: os servidores comissionados, incluindo o ex-prefeito, receberam os salários e férias indenizadas ainda em 2016. Ressaltou ainda o fato de o ex-prefeito ter recebido, de uma só vez, férias indenizadas no valor de R$88.541,08 referentes aos 4 anos de seu mandato.

Evandro mostrou indignação com o fato ocorrido na liberação da senha e lembrou que acionou deputados, além de membros do governo estadual para intercederem junto ao banco, uma vez que o dinheiro já está na conta, restando apenas a liberação para sua transferência. Porém, garantiu que será liberado e que não medirá esforços pagar a folha de janeiro ainda nos primeiros dias úteis de fevereiro. “Agora que a responsabilidade é nossa quero priorizar nossos servidores. Eles serão os primeiros a receber. Depois é que vamos acertar com os fornecedores”, ressaltou.

O governante ainda lembrou de um episódio ocorrido no primeiro dia útil do ano. Segundo ele, o ex-prefeito Jorge Lopes (PSD) foi ao Banco do Brasil na posse de um cheque para transferir o valor correspondente de uma conta para outra da prefeitura. Impossibilitado de fazer a transação, o mesmo acionou a polícia e registrou boletim de ocorrência. Porém, os cheques foram sustados, uma vez que a responsabilidade pelas contas passa a ser legalmente do prefeito empossado. Jorge Lopes acabou devolvendo o cheque na prefeitura e o mesmo está guardado no cofre. Evandro explicou que o dinheiro para pagar os destinatários dos cheques sustados caíram em uma outra conta e que, por este motivo, o ex-prefeito teria tentado fazer a transferência para garantir a quitação dos mesmos. No entanto, Evandro afirmou que sua primeira atitude foi conhecer a realidade financeira e estabelecer prioridades. Por isso, afirmou que negociará caso a caso com os fornecedores que receberiam os valores dos cheques, dentre os quais constam, inclusive, valores referentes à exposição agropecuária, realizada no meio de 2016.

“Temos muitos desafios. Mas eu sou otimista. Vamos levantar a cabeça, ter coragem! A cidade quer e precisa melhorar e somente poderemos conseguir isso com união”, reforçou Evandro.

EMPREGOS

Segundo Evandro Carrara, duas empresas já iniciaram os trabalhos no município e devem empregar, cada uma, em média, 150 pessoas, totalizando 300 empregos diretos. Tratam-se de uma metalúrgica e uma confecção. Ambas já operam de modo inicial e devem atingir seu pleno funcionamento até julho.

Além destes investimentos, o prefeito lembrou que a Vivo vai empregar mais 30 funcionários em 2017. O governante disse aos vereadores que o apoio da Câmara é fundamental para fixar esses investimentos e incentivá-los, destacando que a empregabilidade será uma das prioridades de sua gestão.

SITUAÇÃO DA PREFEITURA

O pronunciamento do prefeito foi marcado por muitas queixas. Citando cada área do município, Evandro elencou uma série de problemas levantados por sua equipe na primeira quinzena de mandato.

Ele afirmou que, mesmo não tendo números exatos, a auditoria já consegue apontar que a dívida supera três milhões e meio de reais. A realidade financeira se desdobra em uma série de problemas estruturais, como máquinas estragadas, veículos escolares sem manutenção e inúmeros veículos parados por falta de peças ou reparos.

O gestor convidou os vereadores a visitarem o lixão do município, onde disse ter encontrado uma situação de calamidade. “Há vacas pastando no lixão, um mau cheiro fora do comum e pessoas trabalhando próximas dessa situação de risco. Tem até um trator de esteira da prefeitura atolado lá sem manutenção e nenhuma proteção”, ressaltou.

HOSPITAL

Evandro Carrara preferiu não abordar a questão do Hospital, que viveu grandes polêmicas no final de 2016, quando médicos da instituição entraram em greve. O prefeito alegou que, diante da intervenção judicial, segundo a qual a entidade se encontra, não é possível fazer afirmações mais detalhadas.

Porém, o gestor anunciou que agendou reuniões com o novo promotor da Comarca de Bom Sucesso e que sua assessoria jurídica o acompanhará para saberem e buscarem soluções iniciais junto ao Hospital, uma vez que o diálogo precisa acontecer também no âmbito da justiça.

Segundo o prefeito, há um recurso de 180 mil reais para reforma do Pronto Socorro, que será destinado mediante atuação burocrática de sua equipe, já que a verba ainda não foi usada devido à não aprovação da Caixa para o que foi apresentado na gestão anterior.

MANIFESTAÇÕES DA CÂMARA

O presidente do legislativo municipal, Caíque (PSC), parabenizou a equipe do prefeito, que o acompanhou no pronunciamento. Ele afirmou que os servidores devem fazer a diferença e abraçarem a chance para ajudar o município. O vereador desejou sorte ao prefeito e disse que a Casa irá atender aos convites para visitas e atitudes com fins de fiscalização.

Outros vereadores também se manifestaram desejando sorte e buscando esclarecimentos, sobretudo, sobre a situação do pagamento dos servidores e da situação financeira do município.