clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais

clike para ver mais

Policia Civil mantêm a greve em 524 cidades em todo Estado.

Secretaria de Estado de Governo divulgou na manhã de hoje que a Justiça considerou ilegal a greve e determinou a volta imediata ao trabalho.

A greve da Polícia Civil atinge 524 das 853 cidades mineiras desde o dia 20, segunda-feira, conforme sindicatos da categoria. Desses, 13 municípios aderiram ao movimento integralmente e funcionam em escala de 30% dos serviços prestados a população pela Polícia Civil, entre eles estão Lavras, Poços de Caldas, Boa Esperança, Andradas, Varginha, Guaxupé, Três Corações e Alpinópois.

Polícia-Civil-em-greve-em-Brasília

De acordo com o sindicato dos Servidores de Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindpol-MG) e o dos Delegados de Polícia de Minas Gerais, não houve avanço na negociação com o Estado, e a greve continua. A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão afirmou que propôs o pagamento do auxílio-vestimenta em julho e a criação de um grupo para discutir o plano de carreira.

A categoria exige equiparação dos salários de investigadores e escrivães aos vencimentos dos peritos, além da equiparação dos valores recebidos por delegados aos valores dos defensores públicos. Outra questão importante levantada pelos sindicalistas é o não pagamento do auxílio vestimenta, que deveria ter sido pago na folha de abril. Porém, isso ainda não aconteceu, enquanto os policiais militares já receberam o mesmo benefício.

Porém, na manhã de hoje, a informação de que a Justiça considerou ilegal a greve da Polícia Civil de Minas Gerais e determinou que os policiais voltem ao trabalho imediatamente, pode mudar o quadro. A informação é da Secretaria de Estado de Governo (Segov).

A decisão foi tomada ontem, quarta-feira, dia 22, pelo desembargador Alberto Vilas Boas Vieira de Sousa. Ele determinou que a categoria volte imediatamente ao trabalho, sob pena de multa diária de R$ 350 mil para os sindicatos.

Ainda de acordo com a Segov, está marcada uma audiência de conciliação para a tarde de 29 de junho na sala de audiências do Palácio da Justiça.

O Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindpol/MG) informou, na manhã de hoje, quinta-feira, que não foi notificado sobre a decisão.

Fonte: jornaldelavras.com.br