clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais
clike para ver mais

clike para ver mais

Advogados que captavam clientes em Santo Antônio do Amparo foram presos por fraudes

Três advogados foram presos em Varginha (MG) e Elói Mendes (MG) nesta quarta-feira (5). De acordo com o Ministério Público, eles eram investigados há dois anos e são suspeitos de enganar clientes.

Na operação, chamada de “AD Judicia”, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, sendo um em um escritório de advocacia e três mandados de prisão preventiva. Além dos crimes de apropriação indébita, a operação apura a falsificação de documentos, uso de documentos falsos e a composição de uma organização criminosa.

Segundo as investigações, os golpes seriam aplicados em Varginha, Elói Mendes e Bom Sucesso(MG). Em outubro de 2016, dois dos advogados já haviam sido presos nesta investigação, suspeitos de falsidade ideológica, apropriação indébita, uso de documentos falsos e organização criminosa, mas respondiam aos processos em liberdade. Agora, segundo o MP, acabaram presos novamente por descumprirem as medidas cautelares.

Ainda conforme o Ministério Público, os advogados procuravam vítimas de cobranças indevidas, principalmente com empresas telefônicas, e faziam promessas de limpar o nome delas. A maioria dos clientes era moradores da zona rural e eram orientados a assinar procurações e recibos em branco. Em posse desses documentos, o MP afirma que os advogados processavam as empresas sem o conhecimento dos clientes e ficavam com as indenizações.

Ainda conforme o MP, há ações penais em andamento na comarca de Bom Sucesso, de onde foram expedidos mandados de busca e de prisão, e procedimentos investigatórios criminais em curso na comarca de Elói Mendes, origem de cinco mandados de busca e apreensão.

Os três advogados chegaram a representar dezenas de clientes de Santo Antônio do Amparo, que também foram vítimas destes supostos golpes. Eles foram levados para uma cela especial no presídio de Três Corações (MG). O presidente da OAB de Varginha, Ubirajara Franco Rodrigues, disse que a entidade vai apurar internamente a atuação dos advogados.